Termas de Unhais da Serra, uma experiência que deve ser vivida (por Elisabete Jacinto)

10 Shares
10
0
0

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto visitou as Termas de Unhais da Serra, na Rota das Termas Centro que está a realizar pelas estâncias termais da rede Termas Centro. O texto que se segue é o testemunho da sua experiência.

Engana-se quem continua a associar termalismo a espaços obsoletos destinados à população mais idosa. Se é esse o seu caso e quer ser surpreendido, venha conhecer a estância termal de Unhais da Serra e verá como é fácil mudar de ideias.

Falar destas termas significa, obrigatoriamente, falar do H2Otel, o único hotel nacional com o espaço termal integrado. Situado em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, este hotel de montanha foi concebido de raiz para se integrar na paisagem de uma forma discreta e harmoniosa. Ao estar situado numa região tão recôndita e pouco povoada, poder-se-ia pensar que se trataria de projecto votado ao insucesso. Mas não! A beleza da sua arquitetura e a grande qualidade e variedade dos seus serviços fazem dele um exemplo de sucesso, constituindo, ele próprio, um motor de dinamismo económico na região. Passar aqui uns dias é uma experiência que deve ser vivida e vou explicar-lhe porquê.

Desfrute: De um espaço termal que tem tudo o que procura

O Aquadome foi o termo escolhido para designar as termas de Unhais da Serra, cujas águas com origem na Serra da Estrela são aconselhadas a “tratamentos do foro respiratório, reumatismais, sequelas de traumatismos osteoarticulares, aparelho digestivo e circulatório”. Para o tratamento destes problemas possuem uma área clínica apoiada em médicos hidrologistas, enfermeiros, fisioterapeutas e nutricionistas e um centro de fisioterapia e osteopatia.

Contudo, usufruir da qualidade destas águas é também sinónimo de saúde, já que podemos ter nelas uma acção preventiva e uma forte associação ao bem-estar. Aqui, o conceito de Spa termal é vivido em toda a sua plenitude, proporcionando todo aquele ambiente um verdadeiro encontro entre o corpo e a mente. Consideremos, por exemplo a Hidromassagem. Esta consiste em  descansar cerca de 20 minutos numa banheira cheia de água tépida, em que a água termal vai circulando com alguma pressão, incidindo de forma variável nas diversas partes do corpo. Trata-se, portanto, de uma verdadeira massagem que promove a circulação e acelera a remoção do ácido lácteo, permitindo uma boa descontração muscular, o que é excelente após o exercício físico. Contudo, em Unhais da Serra, esta é realizada numa sala cheia de luz natural, onde uma parede envidraçada nos permite apreciar a natureza envolvente e usufruir da acção relaxante que esta exerce sobre nós. Assim, acabamos por beneficiar de um relaxamento físico e mental, o que reforça a sensação de  bem-estar e contribui, naturalmente, para um reforço da saúde.

Este espaço dispõe também da magnifica piscina hidrodinâmica de água quente, exterior e interior, óptima no verão e maravilhosa no inverno.

Descubra: O quanto pode ser bom caminhar descalço

Caminhar descalço pela rua é algo que ninguém ousa fazer nos dias que correm… até porque a tecnologia nos proporciona calçado adaptado a todo o tipo de actividades, dotado de um tal conforto que caminhar sem sapatos apenas nos faz sentido na areia da praia! Por essa razão, o H2Otel dotou-se de um “Circuito de Barefoot”, que é como quem diz, de um percurso constituído com diferentes materiais, como areia, pedra rolada, casca de pinheiro, pinhas, lama… sobre os quais é suposto caminhar com os pés nus. Trata-se de uma experiência de reflexologia natural, aproveitando as diferentes texturas dos materiais para massajar a planta do pé, da qual resulta uma sensação de bem-estar e um profundo relaxamento.

A experiência é divertida. Durante este pequeno percurso, toda a nossa atenção se concentra em nós próprios. O primeiro passo provoca alguma aflição, mas a adaptação é muito rápida. Contudo, mal nos sentimos confortáveis com uma textura, iniciamos outra, que volta a requerer toda a nossa atenção. Terminamos caminhando sobre as pedras do fundo de um pequeno curso de água fria, o que nos deixa uma sensação de frescura que perdura ao longo de várias horas. Se passar por lá experimente.

Explore: Um percurso pedestre com um forte cariz cultural!

Pessoalmente, consigo um bom estado de equilíbrio sempre que caminho e é por isso que esta actividade me agrada tanto. Alguns percursos reforçam de tal forma esta sensação que se tornam inesquecíveis. Foi o que me aconteceu no percurso pedestre “A Canada dos Pastores” pois, para além de permitir um verdadeiro “mergulho” na natureza, é dotado de uma grande riqueza cultural.

Inicia-se logo ali, à porta do hotel, a 750 metros de altitude e começamos a subir o vale glaciar situado na encosta Sul da Serra da Estrela. Este facto estimula a nossa imaginação, fazendo-nos recuar no tempo a uma época em que o clima, bastante mais frio, cobria de gelo toda a paisagem e permitia que um glaciar fosse descendo, cavando aquele vale em forma de “U” que hoje percorremos. O actual clima temperado mudou-lhe a cor, tornando-o de um verde intenso salpicado de flores, provando que aqui a primavera ainda está no seu auge.

Iniciámos a subida por um trilho empedrado entre muros por onde, outrora, nesta mesma estação do ano, os pastores conduziam os seus rebanhos em direcção ao topo da serra. Ali ficavam até ao Outono, garantindo o alimento aos animais. Foi por essa razão que as indústrias de lanifícios se foram instalando nesta região, pois havia que tosquiar as ovelhas antes destas iniciarem a subida.

A certa altura, os muros desaparecem e vamos seguindo pelo trilho que se torna estreito, galgando as rochas, ao longo da vertente inclinada. Aos nossos ouvidos chega o som da água que nos acompanha no caminho e que se mistura com o dos chocalhos das ovelhas que vão pastando na encosta. É que de um lado segue a “levada”, do outro a ribeira, lá em baixo, no fundo do vale. Apesar da magnifica paisagem, há detalhes que chamam a nossa atenção para a parede rochosa perto de nós. Aí a natureza esculpiu a “Cabeça do Crocodilo” no granito e a “Cadeira dos Desejos” parece ter sido colocada estrategicamente para permitir ao caminheiro descansar e admirar a beleza do local. Mas porque apenas de uma cadeira se trata, as gentes que em outros tempos subiam e desciam a serra, carregando fardos sobre os ombros, tiveram necessidade de compor com a pedra um espaço que permitisse pousar a carga e usufruir de uns momentos de descanso. É o “Sitio dos Poisos”.

Cabeça do Crocodilo
Cadeira dos Desejos

Continuamos até nos encontrarmos com a Ribeira da Estrela, a qual temos de atravessar saltando com cuidado sobre as pedras. Poucos metros mais à frente, é a Ribeira de Alforfa que nos desafia. Ambas se unem ali perto para formar a Ribeira de Unhais da Serra, cuja praia fluvial, lá no interior da povoação, faz as delícias dos seus habitantes e também dos seus visitantes. Passámos assim para a outra encosta e iniciámos o percurso de regresso à vila, que merece ser visitada. Este é apenas um dos percursos entre os vários igualmente agradáveis e interessantes que se podem fazer por ali. Caminhar é apenas uma de entre as várias actividades que a região tem para lhe oferecer.

Ribeira da Estrela

Mais informações sobre as Termas de Unhais da Serra aqui.

Veja por onde já andou a Elisabete Jacinto:

Termas da Curia, muito mais do que um espaço termal

Termas de Luso, uma fonte de bem-estar

Termas de Unhais da Serra, uma experiência que deve ser vivida

Termas do Cró, um paraíso na natureza

Uns dias nas Termas de Monfortinho

www.termascentro.pt

10 Shares
Também pode gostar

Ver e fazerLuso: roteiro pela vila termal (e arredores)

Os territórios onde estão implantadas as estâncias termais da rede Termas Centro são verdadeiramente deslumbrantes. Um período passado nas Termas é, por isso, recompensador de diversas formas. Além de contribuírem para a regeneração do corpo, sendo eficazes no tratamento de…

Estâncias termaisTermas do Carvalhal, uma história com 200 anos

As Termas do Carvalhal, no belíssimo território de Castro Daire, é uma das unidades termais mais importantes da região Centro. Mas nem sempre o foram. Ao contrário de outras, as propriedades curativas das águas são uma descoberta relativamente recente. “Águas…

Estâncias termaisCuria, a água que curou o engenheiro francês

A história das Termas da Curia começa como a de muitas outras estâncias termais. Começa por uma nascente, que jorrava água borbulhante diretamente da terra, e pela sabedoria popular, que descobriu, empiricamente, as suas propriedades curativas. Nesta história também tem…