Monfortinho, a “fonte santa” que cura portugueses e espanhóis

241 Shares
240
0
1

O ano de 1957 é marcante pela morte de José Gardete Martins, sem dúvida o “pai” fundador das Termas de Monfortinho, e que é hoje perpetuado numa escultura no local. Uma década antes, tinha sido construído um novo hotel, o Astória, muito semelhante ao Grande Hotel de Luso, o qual contribuiu ainda mais para o desenvolvimento das termas.

Faltava um passo decisivo para a sustentabilidade das Termas de Monfortinho. Uma ponte internacional sobre o rio Erges, desejo muito antigo, conheceu a luz do dia em 1993, facilitando o acesso por parte dos aquistas espanhóis.

O séc. XXI traz para Monfortinho mais uma renovação profunda. O novo balneário termal é inaugurado em 2001, oferecendo condições e equipamentos únicos no país. Hoje, as Termas de Monfortinho são uma referência nacional e internacional. Longe, muito longe, estão os tempos das cabanas improvisadas junto à Fonte Santa!

Mais informações sobre as Termas de Monfortinho aqui.

http://www.termascentro.pt

241 Shares
Também pode gostar

Estâncias termaisTermas do Carvalhal, uma história com 200 anos

Uma nova dinâmica Em 1957, a Câmara Municipal assumiu a exploração termal, que estava, desde 1924, arrendada ao gerente do Hotel Astúrias, e começou por remodelar o balneário. Um novo balneário abre em 1972, a que se seguiu uma nova…

Estâncias termaisCuria, a água que curou o engenheiro francês

Ao mesmo tempo que investia na estância termal, a Sociedade das Águas da Curia apostava também na comercialização da própria água, tendo lançado, logo no início do século XX, uma intensa campanha publicitária, inovadora na época. De tal forma marcante…