Combata a obesidade com uma visita às Termas!

24 Shares
23
0
1

A obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública a nível global. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera-a, aliás, a “epidemia do século XXI”. Não é para menos: os dados mais recentes indicam que mais de 1,9 mil milhões de adultos em todo o mundo apresentam excesso de peso, sendo que 600 milhões são efetivamente obesos. É a segunda maior causa de morte passível de prevenção, logo depois do tabagismo.

Portugal não é imune à doença. Mais de metade da população portuguesa tem excesso de peso; desta metade, 14% são casos de obesidade. Muito preocupante é a extensão da prevalência entre os mais jovens. Quase um terço (31%) das crianças e adolescentes portugueses têm excesso de peso. Mais: Portugal ocupa o segundo lugar entre os países europeus com maior percentagem de crianças obesas entre os sete e os nove anos de idade.

Faz todo o sentido, por tudo isto, que o nosso país tenha instituído um Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade, que se comemora a 23 de maio.

O que é a obesidade e quais são as suas consequências

A obesidade é uma doença crónica de armazenamento excessivo de gordura corporal. As mudanças sócio-económicas das últimas décadas, a diminuição da atividade física e o consumo exagerado de alimentos e bebidas contribuíram para o aumento de obesidade, em especial nos países desenvolvidos.

A obesidade está associada ao desenvolvimento de uma lista enorme de outras doenças graves. São os casos de doenças cardiovasculares (hipertensão arterial, arteriosclerose, insuficiência cardíaca congestiva, angina de peito), Diabetes Tipo II, doenças do sistema respiratório (dispneia, síndrome de insuficiência respiratória do obeso, apneia de sono), doenças osteo-articulares, infertilidade, incontinência urinária e cancro da próstata, entre outras.

Logo, é urgente tomar medidas para reduzir a incidência da obesidade. As Termas podem ser uma ajuda preciosa.

As Termas e a obesidade

São abundantes as evidências científicas de que as curas termais são eficazes no tratamento da obesidade.

Em Portugal, o Ministério da Saúde reconheceu-o a nível oficial, colocando a obesidade na lista das doenças para as quais os tratamentos termais são recomendados. Essa recomendação é reconhecida pelo diploma que estabeleceu o regime de comparticipação do Estado no preço dos tratamentos termais prescritos nos Cuidados de Saúde Primários do Serviço Nacional de Saúde, a partir de 2019. A obesidade consta da lista de condições clínicas do sistema metabólico-endócrino elegíveis para efeito de comparticipação.

Muitas das estâncias termais da rede Termas Centro criaram programas específicos para o combate à obesidade, aliando tratamentos com água mineral natural a hábitos saudáveis.

Antes de qualquer tratamento, precisa de ter em atenção que as curas termais devem ser prescritas obedecendo a regras semelhantes a qualquer outra prescrição terapêutica. O médico recomendará tratamentos termais específicos para cada situação.

Há vários tratamentos termais possíveis para a obesidade. Normalmente, as curas termais conciliam a ingestão de água mineral natural (hidropinia) com técnicas e tratamentos complementares, que podem passar por piscina dinâmica com jatos de água, hidromassagens e massagens redutoras, drenagens linfáticas, saunas e banhos turcos e vários tipos de duches.

São abundantes as evidências científicas de que as curas termais são eficazes no tratamento da obesidade.

Como unidades terapêuticas de excelência, as Termas têm como prioridade a educação para a saúde, numa abordagem conjunta que alia a prevenção aos tratamentos. Desta forma, são também recomendados ao doente uma dieta específica e atividade física, em ambiente termal. As curas termais têm a capacidade de induzirem alterações no estilo de vida, sendo, por si só, fatores de promoção de saúde, numa estratégia que alcança excelentes resultados no combate à obesidade.

Benefícios para a saúde

As curas termais direcionadas para a obesidade alcançam resultados positivos. Como consequência da perda de peso, regista-se uma diminuição da tensão arterial e redução do colesterol, assim como a diminuição de doenças associadas, nomeadamente diabetes tipo II, doenças cardíacas e respiratórias.

Como efeitos adicionais, as curas termais contribuem para a diminuição da polimedicação, assim como reduzem a exposição a fatores adversos para a saúde, como os maus hábitos alimentares, o sedentarismo, o stress e o tabagismo. Desta forma, o termalismo contribui para uma significativa melhoria da qualidade de vida, do bem-estar e da saúde em geral!

Na rede Termas Centro, há duas estâncias indicadas especificamente para doenças do aparelho metabólico-endócrino – Termas da Curia e Termas de Monfortinho – mas a generalidade das estâncias termais da rede dispõe de tratamentos específicos para a obesidade. Quando as restrições causadas pela atual pandemia de Covid-19 o permitirem, faça uma visita às Termas, pela sua saúde!

www.termascentro.pt

24 Shares
Também pode gostar

Para cuidarRetenção de líquidos? As Termas podem ajudar!

O corpo humano é constituído por cerca de 70% de água. Este líquido vital está presente no interior e no exterior das células que constituem o nosso corpo. Quando o excesso de líquido se acumula nos tecidos, estamos perante uma…

Para cuidarÉ hipertenso? As Termas podem ajudá-lo!

A hipertensão é a principal causa de doença cardiovascular e de morte prematura em todo o mundo. Estima-se que cerca de 40% da população portuguesa é hipertensa, em maior ou menor grau. Segundo a Fundação Portuguesa de Cardiologia, apenas 50%…